Da natureza para a natureza utilizando picadores de galhos Vermeer - Vermeer Brasil - Equipped To Do More

Da natureza para a natureza utilizando picadores de galhos Vermeer

  • Publicado em 28 de fevereiro de 2021
  • Categorias: Dicas

Em 2010 foi criada a lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Um dos principais objetivos era acabar com os lixões e com o descarte inadequado dos mais variados tipos de materiais.

Os aterros sanitários controlados foram desenvolvidos e receberam mais tecnologia. “O fator gerador do resíduo é responsável pela correta destinação do mesmo, seja pessoa física ou jurídica”, explica Luiz Cláudio de Sá, diretor da Biociclo, empresa que faz a coleta, processamento e destinação correta de resíduos verdes. “Isso vale para poda de árvores, até lâmpadas queimadas, resíduos de construção civil, metais, plásticos e outros”, lembra ele.

Com uma visão empreendedora, Luiz Cláudio percebeu uma oportunidade de negócio para o recolhimento e destinação de material de poda, que é algo rotineiro e precisa ser feito com frequência.
Mesmo antes de iniciar as operações a intenção do empreendedor era que a empresa tivesse seus diferenciais. “Primeiro, fomos atrás de quem pudesse receber a poda triturada que iríamos produzir e que certificar esse material”, conta ele. “Há cinco anos temos um contrato de exclusividade com uma empresa certificada para toda a poda vegetal triturada na região onde estamos sediados”, lembra.
O passo seguinte foi adquirir um equipamento que fizesse a trituração.


“Tinha visto um filme da Vermeer no Youtube e gostei da máquina. Mas eu não sabia que a Vermeer estava no Brasil”, conta o diretor da empresa de reciclagem. A solução estava muito mais perto do que ele podia imaginar. “Foi muito interessante porque um dia fui almoçar e no mesmo restaurante esbarrei com um cidadão vestindo uma camisa da Vermeer.
Era o Chico (Francisco Genovese). Também estavam o Flávio Leite e o Herbert Waldhuetter.” O empresário perguntou sobre a fabricante de equipamentos e explicou sua intenção. “Falei sobre a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos e que buscávamos ser uma empresa diferenciada para atender o segmento. Foi aí que descobri que éramos vizinhos. A Vermeer se propôs a fazer um teste com um picador e começamos a negociar.”


Lixo e dinheiro
Em maio de 2012 a Biociclo entrou oficialmente em operação. Desde então já processou e destinou corretamente mais de 7.200 toneladas de resíduos de poda. No inverno o volume diminui bastante, já que as plantas crescem mais devagar. Existe uma sazonalidade, mas em média a Biociclo produz em torno de 170 toneladas de poda triturada por mês.
Tudo isso iria para um aterro sanitário, o que é muito comum em diversas partes do país. “Existem condomínios em que tudo é queimado, sem nenhum controle, representando um risco. Ou então é destinado de qualquer maneira, largado na rua ou em terrenos baldios.
Vemos muita coisa errada”, lamenta Luiz Cláudio.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos o material resultante da poda é considerado resíduo e não rejeito. Todo o material pode ser aproveitado. “Onde algumas pessoas enxergam lixo, eu vejo dinheiro. Trabalhamos para quebrar esse paradoxo, entre o que é lixo e o que é luxo. Transformamos um material que seria segregado, de uma forma inimaginável, em composto orgânico, em fertilizante.”

Da natureza para a natureza utilizando picadores de galhos Vermeer
Equipamento produtivo

Um picador BC1000XL foi o primeiro equipamento que a Biociclo utilizou para triturar os resíduos. Quando a empresa começou a ganhar corpo e os negócios aumentaram, houve a necessidade de elevar a produtividade. “Precisávamos de um picador fixo, trabalhando em nosso pátio e outro volante, atendendo os clientes no local da coleta. Hoje temos três picadores, todos Vermeer BC1000XL”, afirma Luiz Cláudio.

O diretor explica que a fidelidade pelo modelo veio da satisfação com a primeira máquina adquirida. “Pesquisamos o mercado e o BC1000XL atendeu a minha necessidade. A primeira máquina está trabalhando nunca tivemos um acidente de trabalho.
É uma máquina extremamente segura. Tem o tamanho, peso e produtividade ideal para o que precisamos”. Segundo Luiz Cláudio o equipamento tritura troncos de até 30 centímetros de diâmetro e consome cerca de seis litros de diesel por hora, trabalhando com força máxima. “A manutenção tem um custo benefício razoável e o mais importante: o equipamento é móvel. Conseguimos levá-lo onde for preciso.”

Em termos logísticos o ideal é que a trituração aconteça no local da coleta. O especialista em poda explica que assim o volume a ser transportado é reduzido entre 60% a 70%, dependendo da densidade do material. “Temos um caminhão com capacidade para 13 metros cúbicos. Então você imagina a quantidade de material triturado que ele é capaz de transportar. Quando é in natura, perde-se muito espaço.”

Rede de negócios

Quase metade dos clientes da Biociclo, cerca de 40%, estão em Vinhedo. A empresa também atende em outras cidades, inclusive nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Eles estão segmentados entre condomínios, concessionárias de rodovias, empresas de terraplenagem e propriedades particulares.
“É comum atendermos produtores rurais que querem fazer a limpeza no terreno. Por exemplo, produtor de figo que precisa erradicar alguns pés de figo. Vamos lá e trituramos as árvores.
Se ele quiser pode ficar com o material triturado para usar como adubo. Do contrário nós levamos embora e entregamos a ele uma carta de certificação da destinação ambientalmente adequada, o Certificado de Destinação Final (CDF).
Todos os nossos clientes recebem”, afirma ele. Luiz Cláudio conta que é comum entre os produtores de uva a utilização do material triturado para forração e preparação do solo para a nova safra. “Tudo depende do que é mais viável para o cliente.”

A rede de negócios da qual faz parte a Biociclo envolve uma vasta carta de segmentos e profissionais.
Entre os parceiros da empresa estão engenheiros agrônomos, florestais, paisagistas, biólogos e técnicos. “Temos parceiros para o plantio de grama, desenvolvimento de projetos, relatórios, licenciamentos, supressão de árvores.
Em tudo que está relacionado ao nosso negócio temos bons parceiros para indicar”, garante Luiz Cláudio.

Assista o vídeo da Biociclo em nosso canal do youtube:

 


 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar de